Radar Climático – 6 de Abril

Portugal continua numa situação de seca, embora menos grave

Janeiro e Fevereiro foram os meses com menos chuva desde que há registo, mas já não se verifica uma seca extrema devido às chuvas de Março, que foram acima da média.

Contudo, 16% do país ainda se encontra em seca severa, 82% em moderada e 2% em fraca. Existem várias situações críticas de barragens e bacias hidrográficas por todo o país com uma capacidade de armazenamento muito inferior à habitual.

Na sequência de alegações sobre a conduta do exercito russo na Ucrânia, a União Europeia deverá banir por completo as importações de carvão vindo da Rússia. Este novo plano de medidas contempla incrementar medidas já antes tomadas e prevenir falhas que permitiam contornar a legislação anterior.

Para a medida avançar, foi essencial a mudança de posição por parte da Alemanha, fortemente dependente do carvão. Até agora, a Rússia fornecia cerca de metade do carvão usado na União Europeia.

Em consequência do impacto da guerra na Ucrânia, a inflação atinge o valor mais alto em Portugal em quase 3 décadas: 5,3% quando medida em termos homólogos, ou seja, em relação a Março do ano passado. Os combustíveis e alimentos tiveram um papel decisivo nesta subida, mas está se a alargar para a generalidade dos produtos.

Subidas ainda mais acentuadas verificam-se noutros países Europeus, como na Alemanha e em Espanha.

Carlos Moedas afirmou que “Temporariamente vamos resolver uma parte do problema que é retirar já uma parte daquela ciclovia para escoar o trânsito, mas no longo prazo aquela avenida tem de ter duas faixas nos dois lados e, depois, pode ter a ciclovia, mas isso tem de ser um projecto de reperfilamento da própria Almirante Reis”. Ou seja, depois de “ouvir as pessoas”, conclui que a solução imediata é colocar toda a ciclovia no sentido descendente, retirando o outro.

Assim, depois de fazer uma campanha eleitoral em que dizia querer acabar com a ciclovia, agora faz discursos ambíguos sobre qual será o destino desta.

Ativistas da Greenpeace da Dinamarca, Suécia, Noruega, Finlândia e Rússia puseram-se a nado, com caiaques e barcos entre 2 supertanques para tentar bloquear a transferência de 100 mil toneladas de óleo russo. A Greenpeace apela por um desinvestimento global e eliminação gradual de combustíveis fósseis e um embargo de combustíveis fósseis da Rússia para travar o financiamento da guerra.

A caravana que começou a 22 de Março está prevista durar até 24 de Abril, com o objetivo de tornar visível as lutas pela água e defesa do território em 9 estados do México e outros territórios, atacando o sistema capitalista e os Estados que o defendem. A caravana é organizada pelos “povos unidos contra a despossessão capitalista” e conta com vários grupos indígenas e organizações como as Zapatistas.

A 2 de Abril, quando estavam a entrar em Chilapa para se encontrarem com as Zapatistas, depararam-se com a presença de 50 carrinhas e 20 motos do grupo de crime organizado “Los ardillos” (que já tinham sido conhecidos por torturar, matar e fazer desaparecer ativistas indígenas da região). A organização da caravana apela a que vários grupos a nível internacional estejam atentas pela proteção das participantes da caravana.

Chuvas fortes atingiram o estado de Nova Gales do Sul na costa Leste da Austrália na passada quarta-feira, submergindo cidades inteiras, e forçando milhares de pessoas a abandonarem as suas casas, pela segunda vez em poucas semanas. As águas rápidas das cheias subiram as margens dos rios e rebentaram diques.

Pelo segundo ano consecutivo, o Verão na costa Leste da Austrália tem sido afetado pelo padrão climático de La Nina, tradicionalmente associado a precipitação intensa, com os rios já em capacidade máxima por causa das chuvas torrenciais. De assinalar que ainda há poucos anos, este estado australiano de Nova Gales do Sul se deparou com uma feroz seca com o pico em 2018.

A FDUL abriu um canal para receber denúncias de assédio e discriminação e em 11 dias recebeu 50 queixas, relativas a 10% dos professores (31), a associação académica fala num “sentimento de impunidade” e de “clima de medo”. A única medida prevista por enquanto é a criação de um código de conduta. Foi convocada para a próxima quinta (7 de Abril) uma manifestação contra o assédio sexual no meio académico às 18h na Alameda da Reitoria.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Facebook
Twitter
Instagram
RSS
Flickr
Vimeo
Climáximo